segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Quebrei um termômetro! E agora?

Estava eu em casa numa noite dessas, com minha filhinha de 4 aninhos. E como tem coisas que só acontecem quando a gente está só, nessa noite meu marido estava viajando.
Percebi que minha filha estava com um pouco de febre, geralmente ela fica assim quando o pai viaja. Fui medir sua temperatura na cozinha e o inesperado aconteceu! O termômetro caiu no chão e quebrou. Na hora a gente pensa tudo. Verifiquei rapidamente se ela havia se ferido e tratei logo de afastá-la dali.
Já havia ouvido falar que mercúrio é um metal pesado e que pessoas e meio ambiente podem ser contaminados, mas a gente nunca para pra pesquisar como acontece a contaminação, pois acha que isso, é coisa só de quem trabalha no garimpo, por exemplo.
Até aí tudo bem. Quando a gente quebra alguma coisa que se espalha pelo chão da cozinha vai pensando logo em juntar os cacos de vidro e pegar um pano pra secar. Foi aí que a coisa complicou.
O chão ficou cheio de pequenas bolinhas. Pequei um pano seco e logo descobri que não absorvia. Puxa vida! Pensei. E agora? Um algodão talvez absorva. Que algodão que nada! As bolinhas hora se juntavam, horas se espalhavam cada vez mais.  E eu ali tentando cercá-las como um cão pastor de ovelhas. Foi assim que me senti! Com aquelas bolinhas rolando pra lá e pra cá. 
Então, a preocupação inicial com a contaminação começou a aumentar. Vocês podem até pensar que é drama, mas quando a gente tem um filho o extinto de proteção materno fica totalmente aflorado nessas horas. É a lei da natureza, a cria pode estar em perigo. 
Parei tudo. Liguei o computador e lá fui eu pesquisar na internet como limpar o chão e se havia risco de contaminação. De minhas descobertas a mais importante foi que a Anvisa fornece atendimento através do Disque Intoxicação no 0800-722-6001 ou Disque Saúde 0800 61 1997 do Ministério da Saúde.
Para limpar o chão descobri que se você apagar as luzes, (tive sorte porque era noite) e ligar uma lanterna próximo às bolinhas do mercúrio, a luz será refletida por elas e você poderá vê-las. Fiz isso e descobri que tinha muito mais bolinha do que eu estava vendo com a luz acesa. Então com uma fita adesiva, daquelas largas, você vai capturando o mercúrio como se estivesse “depilando” o chão. Mas tudo muito devagar e com  cuidado pra não entrar em contato com a pele. Tem que ter paciência. 
Outra coisa é o descarte. Não pode jogar no lixo comum, pois contamina o meio ambiente sim. Você pode encaminhar para algum laboratório de alguma universidade ou hospital próximos a sua casa, que eles sabem como dar o destino correto.
No outro dia conversei com um professor de química e ele me deu outra dica. Utilizar um pedaço de fio de cobre,  segundo ele o material do fio irá reagir com o mercúrio transformando-o numa “liga” e o mercúrio todo se junta ao fio. Não fiz o teste, então não sei se isso realmente funciona.
Quanto à contaminação, tendo em vista que no termômetro é utilizada uma pequena quantidade, não há risco de contaminação do ar, você só precisa tomar cuidado para que o mercúrio não entre em contato com a pele, se sim procure logo orientação médica.
Aprendi tanta coisa com esse episódio que resolvi contar aqui no blog pra vocês. Espero que seja útil em algum momento. Nós mulheres precisamos tanto falar, nos expressar enfim aquelas 20 mil palavras diárias (que exagero!) que precisamos falar. Numa hora dessas a gente quer tanto se comunicar com alguém.
Abaixo estão as fontes da minha pesquisa, onde você poderá encontrar maiores informações.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Flor de cactus


Gosto muito de flores. Minhas preferidas são as rosas.
Mas todas as flores me encantam.
Eu tenho uma amiga muito querida que cultiva cactus no seu jardim.
Tem um em especial que tem nos encantado.
Na semana passada ele floresceu pela segunda vez e nós resolvemos fotografar.
Vejam só que lindo!



Observem como a flor é maior do que a planta!

 

Pena que a flor só dure um dia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...